Sarah Sheeva (Sarah Sheeva Cidade Gomes, Rio de Janeiro, 10 de fevereiro de 1973;) é uma Pastora, Escritora, Cantora, Compositora, Arranjadora, Figurinista, Conselheira Sentimental e Palestrante brasileira.bio

Biografia

Filha primogênita de dois grandes nomes da música popular brasileira: Pepeu Gomes e Baby do Brasil, (ex Baby Consuelo), seus pais levaram oito meses para lhe dar um nome, e quando decidiram, lhe deram o nome de ‘Riroca (escreve com um apóstrofo antes do ‘R) que em língua indígena Tupi-guarani significa “Casa do Amor”. Nasceu em 10 de fevereiro de 1973 e passou os primeiros anos de sua vida no sítio do vovô, comunidade criada pelos Novos Baianos em Vargem Pequena.

Começou a compor músicas aos três anos, quando seus pais ainda faziam parte do grupo Novos Baianos.  No LP “Caia na Estrada e Perigas Ver” (Novos Baianos) cantou (aos 3 anos) a faixa de sua autoria “Porto dos Balões”. Continuou compondo com seus pais nos anos seguintes, sendo co-autora de sucessos como “Planeta Vênus” e “Barrados na Disneylândia”.
Em 1987, seus pais mudaram oficialmente seu nome para Sarah Sheeva, sendo o primeiro nome “Sarah” inspirado no nome da personagem da Atriz Jennifer Connelly no filme Labirinto, filme protagonizado também pelo Cantor e Ator David Bowie, por quem Sarah nutria grande paixão e admiração. O segundo nome “Sheeva” sugerido por sua mãe, foi inspirado no segundo nome de Cosma Shiva Hagen, filha da atriz e cantora Nina Hagen, que Sarah havia conhecido quando ambas eram crianças, nos bastidores do primeiro Rock in Rio em 1985 . Apesar de ter se inspirado no segundo nome de Cosma, Sarah decidiu mudar a grafia do nome “shiva” para “Sheeva” para que não fosse associada a uma religião indiana.

Sarah começou a desenhar ainda na adolescência, e começou a trabalhar em 1991 como Figurinista nos bastidores da música, depois se tornou Desenhista de Alta Costura e aspirante à Estilista. Também em 1991 Sarah teve sua filha, Rannah Sheeva.

Em 1994 começou oficialmente sua carreira como Cantora, atuando como backing vocal de Pepeu Gomes e Baby do Brasil juntamente com suas duas irmãs.

Em 1997, começou a formar o grupo vocal SNZ junto com suas irmãs Nãna Shara e Zabelê, no qual atuou por cinco anos. O primeiro álbum do grupo, intitulado SNZ, foi lançado em 2000 pela Warner Music, produzido por Tom Capone e Plínio Profeta. O primeiro single “Longe do Mundo”, também foi escolhido como trilha sonora do filme O Trapalhão e a Luz Azul, sendo a música tema do vídeo clipe do filme. O segundo single e carro-chefe do álbum “Retrato Imaginário” foi escrito por Nãna Shara (irmã de Sarah Sheeva) em parceria com a cantora italiana Deborah Blando. A música rapidamente se tornou um sucesso e ganhou muito apoio das rádios e das emissoras de TV. Um remix dançante da música também foi feito para o vídeo clipe oficial, e também foi lançado nas rádios. A terceira música de trabalho, uma sofisticada releitura R&B do hit “Dancin’ Days” de Nelson Mota (gravada pelas As Frenéticas na década de 70) também recebeu prestígio das rádios, sendo lançada como terceira música de trabalho do grupo, e teve seu vídeo clipe dirigido e produzido pelo diretor Alex Miranda, sendo na época, um grande sucesso na MTV brasileira.

O segundo álbum de estúdio lançado pelo grupo, em 2001, levou o título de Sarahnãnazabelê. Produzido por Paulo Jeveaux, o álbum foi um grande sucesso, começando pelo dueto com o cantor americano Richard Lugo na música “Nothing’s Gonna Change My Love For You”/”Nada vai Tirar Você de Mim” de George Benson, canção que foi um grande sucesso nas rádios, e teve seu vídeo clipe dirigido por Preta Gil e Caio Blat, sendo um outro grande sucesso na MTV brasileira. Essa música também foi incluída na trilha sonora da novela Um Anjo Caiu do Céu (Rede Globo).
A segunda música de trabalho desse álbum, considerada o maior sucesso do grupo SNZ foi a música “Se Eu Pudesse” de autoria da própria Sarah Sheeva, chegando a ficar por meses em #1 e #2 lugar nas paradas de sucessos das rádios de todo o Brasil, e tendo seu vídeo clipe entre os top 10 da época, na MTV brasileira.

Em 2002, a banda recebeu o Prêmio Multishow de Música Brasileira na categoria “grupo revelação” eleita pelo público. No mesmo ano foi lançado um álbum de remixes, contendo os sucessos da banda em versões remixadas pelo Produtor Paulo Jeveaux, que continha uma faixa inédita intitulada “DNA do Som”.
O grupo chegou ao final da formação original no início de 2003, quando Sarah Sheeva anunciou que deixaria a banda para seguir seu ideal de fé, e trabalhar por tempo integral como missionária e pregadora da Palavra de Deus (Bíblia). A banda então continuou com as outras duas integrantes, e Sarah seguiu sua carreira solo.

Em 2004 Sarah entrou em estúdio novamente, dessa vez para gravar seu primeiro álbum gospel intitulado “Tudo Mudou”, produzido por Paulo Jeveaux, e Co-produzido por ela. O álbum foi lançado em 2005 pela gravadora mineira Joy Music.

Em Setembro de 2007 Sarah ingressa na carreira de Escritora, e lança seu primeiro livro “Defraudação Emocional. E no ano seguinte, em Setembro de 2008, lança o segundo livro chamado “Onde Foi Que Eu Errei?”.

Conversão e carreira ministerial

Em Outubro de 1997 Sarah Sheeva foi a primeira de sua família a se converter a Jesus Cristo e se tornar evangélica. Dois anos depois, sua mãe, Baby do Brasil, também se converteu. A partir de 2003 Sarah Sheeva passou a exercer um trabalho missionário, de edificação da igreja, viajando todo o Brasil para pregar as Sagradas Escrituras. Seu trabalho se destaca pelo seu forte testemunho de conversão, que conta com detalhes sobrenaturais relatados pela própria Sarah. E também pelo fato dela não cobrar para pregar, fazendo seu trabalho de forma voluntária. Além disso, seu trabalho começou a chamar a atenção pelo fato dela nunca ter se casado, vivendo em abstinência sexual há mais de 17 anos, e decidida a viver assim até um possível casamento.

Um de seus trabalhos mais populares, direcionado ao público feminino, chama-se Culto das Princesas, e tem como objetivo o resgate de valores que foram perdidos na cultura atual, incentivando as mulheres a se valorizarem através da restauração da autoestima, da comunicação com a mente masculina, da forma de se vestir e de se comportar nos relacionamentos. Além desse trabalho, ela viajou por mais de 15 anos a todos os estados brasileiros e também a muitos países para realizar um trabalho chamado “Congresso de Santificação”, um trabalho criado por ela que durava 3 dias, gratuito, totalmente voltado a ajudar as igrejas evangélicas. As palestras desse trabalho falavam sobre a libertação espiritual em 3 áreas (espírito, alma e corpo) e tratava principalmente de problemas na área sexual, na área das vontades, do Altar, das artes e da adoração. Sarah Sheeva é a única Pastora do Brasil a ministrar “libertação musical” por acreditar que a música tem um “poder espiritual” e que a Bíblia contém uma “teologia do som” descrita de forma sutil desde Gênesis.

Em 2011 ela foi consagrada a Pastora pelo corpo pastoral de sua igreja na época (a extinta ICI – Igreja Celular Internacional) onde permaneceu por 16 anos (desde 1999), até que após alguns anos, o casal de pastores que presidia a igreja anunciou o divórcio, fazendo com que Sarah optasse por deixar a denominação e se mudasse para Goiânia-GO. Após alguns anos, a igreja ICI foi definitivamente fechada, e Sarah Sheeva passou a fazer parte do corpo pastoral e missionário de outra igreja: a Comunhão Cristã Resgate, em Copacabana, Rio de Janeiro.

Em 2012, após um longo período sem gravar, Sarah Sheeva voltou a entrar em studio para gravar um novo sigle, a música tema do Culto das Princesas “Eu Decido Confiar”, letra, música e arranjo são também de sua autoria.

Em 2014 Sarah Sheeva criou a Conferência da Realeza (Conferência Príncipes e Princesas) um trabalho voltado ao público cristão solteiro acima de 18 anos, para homens e mulheres, a pedido dos homens que reclamavam do fato dela não realizar um trabalho inclusivo para eles. Com palestras específicas para esse público cristão solteiro que segue a mesma linha que ela, essa conferência também incluiu um baile de danças medievais ao som de música gospel no final, cuja proposta era promover a comunhão pura entre os solteiros e a formação de novas amizades. O baile foi todo criado por ela em parceria com a Cia Rhema de Artes e Dança de Goiânia, onde Sarah morou por 3 anos. A primeira Conferência Príncipes e Princesas [1] foi realizada em Novembro de 2014 no Anhembi em São Paulo [2]

No final de 2016, Sarah Sheeva voltou a ter atenção entre o grande publico com uma postagem de humor em seu instagram onde compartilhou de sua alegria por estar há mais de 10 anos sem sexo (o que intitulou de “aquilo maravilhoso”) e mesmo assim ser feliz sem ter uma vida sexual. Essa postagem lhe rendeu o título de meme do ano [3].

Sarah Sheeva se tornou a pastora solteira mais famosa do Brasil desde 2008 quando voltou à mídia através do programa Superpop de Luciana Gimenes na RedeTv onde sua história de mudança de vida foi contada detalhadamente. Desde então, sua vida sentimental e emocional atrai tanto a atenção do público como a atenção da mídia devido ao fato dela ter compartilhado com o público sua história de ex-ninfomaníaca (antes de se converter a Cristo), e que após sua conversão, ela foi liberta de todos os desejos sexuais descontrolados, passando a viver em abstinência sexual até que algum dia possa vir a se casar.

Ela costuma ser alvo de brincadeiras e memes na internet devido a essa escolha e postura, porém leva isso na esportiva e com bom humor, como se vê em todas as suas entrevistas.

Siga a Pastora Sarah Sheeva no Instagram, e acompanhe as notícias atuais de seu trabalho: https://www.instagram.com/sarahsheeva/?hl=pt-br